Dengue: curiosidades, transmissão e sintomas

Dengue: curiosidades, transmissão e sintomas

Saiba quando a doença chegou ao Brasil
Os casos de dengue tem aumentado significativamente nas últimas semanas, o que chama atenção novamente para a doença. Já tem anos que a dengue atormenta o Brasil, ainda no período colonial o Aedes Aegypti desembarcou em solo brasileiro e chegou a ser vencido, mas desde 1981 quando chega o verão, o inseto volta a incomodar.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 4 bilhões de pessoas vivem em regiões de risco para a dengue, em 128 países. Antes de 1970, somente em nove países havia registros de epidemias causadas pela doença.

Como a doença é transmitida?

Por picadas de insetos, principalmente os mosquitos, uma das doenças febris mais causadas por arbovírus. O agende responsável pelo vírus é da família Flaviviridae, o mesmo que causa febre amarela. Na grande maioria dos casos, a dengue se apresenta sem sinais de alarme, com sintomas mais leves, mas também existe a “dengue grave”, antes conhecida como dengue hemorrágica, por isso é importante fazer acompanhamento médico.

Após contrair o vírus e se recuperar, a pessoa tonar-se imune ao sorotipo que contraiu, mas ainda existem outros. Ser infectado com diferentes sorotipos aumenta o risco de desenvolver a dengue hemorrágica.

Atenção para sintomas!

Eles podem aparecer em um período de três a 15 dias depois da picada. A grande maioria das pessoas sequer percebe que foi infectada, ou apresenta manifestações muito leves. Os sintomas são muito parecidos com os de gripe ou Covid-19, então fique ligado para saber diferenciar e procurar um médico:

  • Febre alta, geralmente começa e forma repentina e fica entorno de 39 a 40ºC;
  • Dor de cabeça e dor atrás dos olhos;
  • Sensibilidade à luz, denomina-se como fotofobia;
  • Cansaço excessivo;
  • Dores musculares e articulares;
  • Manchas vermelhas na pele que podem apresentar coceira;
  • Perda de apetite;
  • Náuseas e vômitos;
  • Diarreia.

O comum é sentir febre, associada a dores e fadiga. As manchas de pele aparecem em 50% dos casos, e normalmente quando a febre já cessou. Boa parte da população se recupera depois de até quatro dias de febre, quando isso não ocorre, o quadro pode se agravar e aí os sintomas de alerta são:

  • Aumento do volume do fígado;
  • Vômitos persistentes;
  • Dor abdominal contínua e intensa;
  • Diminuição da frequência urinária;
  • Hipotermia;
  • Manifestações de sangramento ou petéquias;
  • Queda da pressão arterial, desmaio ou tontura;
  • Desconforto para respirar, sonolência ou irritabilidade.

Especialistas indicam que a procura por atendimento médico aconteça se houver febre alta, principalmente se for criança, gestante, idoso ou tiver alguma doença crônica.

Fonte: Eko’7 Saúde

Deixe um comentário.

Faça login com seu e-mail.